Métodos WTF e simulação numérica de fluxo para estimativa de recarga – exemplo Aquífero Rio Claro em Paulínia/SP

Elias Hideo Teramoto, Hung Kiang Chang

Resumo


A estimativa do volume de recarga dos aquíferos é fundamental para o gerenciamento de recursos hídricos de subsuperfície. Parte da área de ocorrência do aquífero Rio Claro no munícipio de Paulínia/SP é marcada pela presença de hidrocarbonetos na fase residual e influência de poços de bombeamento dos sistemas de remediação em operação, além de incertezas associadas a heterogeneidades geológicas peculiares a essa unidade hidrogeológica. Esses fatores dificultam estimativas seguras de recarga. Para contornar o problema, foram realizadas simulações numéricas de fluxo, em regime transiente, utilizando dados de monitoramento levantados ao longo de 7 anos, para estimar a recarga do Aquífero Rio Claro nessa área. As variações de carga hidráulica da simulação são similares às variações do nível d’água em todos os poços monitorados, indicando que o modelo foi satisfatoriamente calibrado. A comparação entre as estimativas de recarga pelo método Water Table Fluctuation e os valores obtidos pelos modelos matemáticos revelam elevada discrepância entre ambos. Tal discrepância está associada à diferença nos valores do parâmetro Sy (produtividade específica) empregados nos diferentes métodos. Os valores de Sy podem promover taxas de recarga do aquífero superestimadas por não contemplar o efeito da histerese durante a flutuação do nível d’água.


Palavras-chave


Aquífero Rio Claro. Simulação numérica de fluxo. Flutuação do nível d’água. Recarga.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/ras.v32i2.28943

_____________________________________________________________________

A revista Águas Subterrâneas é uma publicação da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas - ABAS - para divulgação de artigos científicos (originais e inéditos) sobre Hidrogeologia e outros temas pertinentes. Os artigos aceitos e finalizados são publicados em forma contínua e organizados sob a numeração de um Volume anual subdividido em vários Números com até 10 artigos cada um. 

A Revista Águas Subterrâneas é um periódico com classificação QUALIS Nacional e Internacional.

A Revista Águas Subterrâneas não cobra dos autores quaisquer taxas para submissão ou publicação. 


DISCLAIMER: Os suplementos de anais (congressos e encontros técnicos) aqui presentes são publicados na Revista Águas Subterrâneas exclusivamente por um ato de gentileza dos editores. Seus artigos NÃO PODEM e NÃO DEVEM ser considerados como publicações deste periódico. NÃO foram submetidos a revisão pelos avaliadores da revista. NÃO são contemplados na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O objetivo é tão somente o de ampliar a divulgação destes anais. Além disso, por serem anais de eventos, não é necessária e não será apresentada a numeração de páginas. Devem ser citados como anais de eventos somente, sem referência a este periódico.

 

 
É de LIVRE acesso a todos os interessados, gratuitamente.
 
ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, São Paulo, Brasil
eISSN 2179-9784 (eletrônico)
ISSN 0101-7004 (impresso)

Filiada:
 

Licença Creative Commons
Revista Águas Subterrâneas está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.


Todos aqueles que se cadastram na Revista Águas Subterrâneas tornam-se filiados da ABAS gratuitamente, podendo usufruir de descontos em eventos e material técnico. Por extensão, tornam-se também associados do Capítulo Brasileiro da Associação Internacional de Hidrogeólogos*, podendo também usufruir de descontos em eventos internacionais da IAH e outras ofertas. O acesso à revista é livre e independente do cadastramento

*Clique aqui para saber maiores detalhes e limitações dos filiados.