Análise das relações entre resistividade elétrica, condutividade hidráulica e parâmetros físico-químicos para o Aquífero Livre da Região de Corumbataí (SP)

Fernanda Teles Rosa, Cesar Augusto Moreira, Alan Carrara, Shaiely Fernandes dos Santos

Resumo


O Brasil é um país privilegiado em relação aos seus recursos naturais, mas enfrenta problemas de diagnóstico da situação das águas superficiais e subterrâneas, devido à qualidade e a quantidade deste recurso. Questões quanto aos parâmetros físico-químicos como elevada salinidade ou baixa condutividade hidráulica podem prejudicar o uso deste recurso hídrico subterrâneo. O estudo de procedimentos para diagnóstico direto e indireto de salinidade em aquíferos pode auxiliar na seleção de locais adequados para que ocorra a captação da água. Neste sentido, este estudo descreve uma análise comparativa entre dados geoquímicos e ensaios geofísicos em um aquífero livre, com salinidade elevada, numa tentativa de estabelecimento de correlações entre dados diretos e indiretos, além de possibilitar uma análise das limitações de uso do método geofísico da eletrorresistividade como ferramenta indicadora de graus de salinidade. O contexto geológico local é representado por solos argilosos assentados sobre siltitos e argilitos da Formação Corumbataí, unidade geológica pertencente à Bacia Sedimentar do Paraná. Esta unidade representa um aquiclude regional, com o nível aquífero livre no contato solo/rocha, caracterizado por salinidade variável e bastante utilizado como fonte de abastecimento em propriedades rurais. Os parâmetros físico-químicos medidos em amostras coletadas em poços foram: sólidos totais dissolvidos (STD), condutividade elétrica (CE), além de medidas de condutividade hidráulica (k). Os dados de STD e CE foram amplamente variáveis, mas resultaram numa correlação direta satisfatória. A comparação entre dados de resistividade elétrica com STD e com k não resultaram em correlações com resposta tão satisfatória, devido à complexidade geológica e salinidade amplamente variável, fatores que controlam a resistividade elétrica no ambiente geológico.


Palavras-chave


Aquiclude. Salinidade. Tomografia elétrica. Permeabilidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14295/ras.v31i4.28878

_____________________________________________________________________

A revista Águas Subterrâneas é uma publicação da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas - ABAS - para divulgação de artigos científicos (originais e inéditos) sobre Hidrogeologia e outros temas pertinentes. Os artigos aceitos e finalizados são publicados em forma contínua e organizados sob a numeração de um Volume anual subdividido em vários Números com até 10 artigos cada um. 

A Revista Águas Subterrâneas é um periódico com classificação QUALIS Nacional e Internacional.

A Revista Águas Subterrâneas não cobra dos autores quaisquer taxas para submissão ou publicação. 


DISCLAIMER: Os suplementos de anais (congressos e encontros técnicos) aqui presentes são publicados na Revista Águas Subterrâneas exclusivamente por um ato de gentileza dos editores. Seus artigos NÃO PODEM e NÃO DEVEM ser considerados como publicações deste periódico. NÃO foram submetidos a revisão pelos avaliadores da revista. NÃO são contemplados na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O objetivo é tão somente o de ampliar a divulgação destes anais. Além disso, por serem anais de eventos, não é necessária e não será apresentada a numeração de páginas. Devem ser citados como anais de eventos somente, sem referência a este periódico.

 

 
É de LIVRE acesso a todos os interessados, gratuitamente.
 
ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, São Paulo, Brasil
eISSN 2179-9784 (eletrônico)
ISSN 0101-7004 (impresso)

Filiada:
 

Licença Creative Commons
Revista Águas Subterrâneas está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.


Todos aqueles que se cadastram na Revista Águas Subterrâneas tornam-se filiados da ABAS gratuitamente, podendo usufruir de descontos em eventos e material técnico. Por extensão, tornam-se também associados do Capítulo Brasileiro da Associação Internacional de Hidrogeólogos*, podendo também usufruir de descontos em eventos internacionais da IAH e outras ofertas. O acesso à revista é livre e independente do cadastramento

*Clique aqui para saber maiores detalhes e limitações dos filiados.