Estimativa da recarga de água subterrânea utilizando o método WTF na porção continental da Bacia Sedimentar de Campos, Rio de Janeiro, Brasil

Publicado
2021-11-25
Palavras-chave: Hidrogeologia, Recarga de água subterrânea, Método WTF, Gestão de água subterrânea. Hydrogeology, Groundwater recharge, WTF method, Groundwater management.

    Autores

  • Lyndemberg Campelo Correia IFES - Instituto Federal do Espírito Santo
  • Maria da Glória Alves UENF - Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiroi
  • Gerson Cardoso da Silva Júnior UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro

Resumo

No presente estudo, estimamos a recarga de aquíferos livres e rasos na porção continental da Bacia Sedimentar de Campos, estado do Rio de Janeiro, Brasil, aplicando o método WTF. Com exceção dos poços P1 e P2, onde foram encontrados os valores mais discrepantes, foi registrada uma recarga média de 106,1 mm, representando 16,5% da precipitação, para o período analisado. Dez poços selecionados na área de estudo tiveram sua variação de nível de água monitorada durante um ano hidrológico, de outubro de 2015 a setembro de 2016. Foram utilizados os registros de precipitação de três estações, Campos, Farol de São Tomé e São Francisco de Paula. A literatura descreve diversos métodos para quantificar a recarga do lençol freático, sendo o método da flutuação do lençol freático (WTF) um dos mais utilizados, provavelmente devido à abundância relativa de dados de variação do lençol freático disponíveis, bem como à sua simplicidade e fácil aplicação. Os resultados de recarga obtidos foram semelhantes em oito dos dez poços monitorados. O método WTF tem se mostrado aplicável em regiões com características climáticas semelhantes às da área de estudo. Recomenda-se a continuidade do monitoramento de forma contínua, de forma a atingir um período prolongado e com medições diárias do nível de água, se possível. Com isso, o método pode contribuir para a obtenção de resultados mais confiáveis, e que, consequentemente, auxiliarão aos tomadores de decisão na gestão do aquífero.

Referências

ANA. Agência Nacional de Águas. Conjuntura dos recursos hídricos no Brasil.2013. Disponível em: <http://arquivos.ana.gov.br/institucional/spr/conjuntura/webSite_relatorioConjuntura/projeto/index.html>. Acesso em: 23 nov. 2020.

______. (2019). Atlas Brasil: abastecimento urbano de água: panorama das águas. Disponível em:<https://www.ana.gov.br/usos-da-agua/abastecimento> Acesso em: 30 set. 2020.

BARRETO, C. E. A. G. Balanço Hídrico em zona de afloramento do Sistema Aquífero Guarani a partir de monitoramento hidrogeológico em bacia representativa. Dissertação (Mestrado em Hidráulica e Saneamento). 2006, 249f. - Escola de Engenharia de São Carlos, USP, São Carlos.

BAUM, C.A., MANCUSO, M.A., FRITZEN, R.R. Application of the WTF method in the study of recharge variability in urban aquifer. Revista Geociên-cias. v.37, n.1, p.85-98, 2018.

BERNARDES, R. S. (2005). Condutividade Hidráulica de Três solos da Região Norte Fluminense. Universidade Federal Norte Fluminense (UENF). Campos dos Goytacazes/RJ. (Dissertação de Mestrado). 2005.

CABRAL, J.J.S.P., 2008. Movimento das águas subterrâneas, In: FEITOSA, F.A.C., MANOEL FILHO, J., FEITOSA, E.C., DEMETRIO, J.G.A. (EDS.), Hidro-geologia: Conceitos e aplicações. Rio de Janeiro, CPRM: LABHID, 2008, p. 77-91

CHRISPIM, Z. M. P. Análise da vulnerabilidade e caracterização hidrogeoquímica dos aquíferos livres rasos da parte emersa da Bacia Sedimentar de Campos Campos dos Goytacazes. Tese (Doutorado em Engenharia Civil), 2016. 320f - Laboratório de Engenharia Civil, Centro de Ciência e Tecnologia, UENF, Campos dos Goytacazes.

COELHO, V. H. R., ALMEIDA, C. DAS N., SILANS, A. M. B. P. DE. (2012). Análise da Flutuação do Nível D’água para Estimativa da Recarga Subterrâ-nea da Bacia Representativa do Rio Gramame no Nordeste Brasileiro. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, v.17, n.2, p. 241-252, 2012.

COOK, P. G.; KILTY, S. A helicopter borne electromagnetic survey to delineate groundwater recharge rates. Water Resources Research, v.28, n.11, p. 2953-2961, 1992.

CORREIA, L. C.; ALVES, M. G.; CHRISPIM, Z. M. P. Avaliação do balanço hídrico e dos dados de chuvas de Campos dos Goytacazes/RJ, In: Congres-so Estadual de Prevenção e Proteção Contra os Efeitos da Estiagem. Comitê de Bacia Hidrográfica do Baixo Paraíba de Sul e Itabapoana (CBH BPSI). Atas.. Campos dos Goytacazes – RJ, 2018.

CPRM - Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais. Projeto Rio de Janeiro. Ministério das Minas e Energia / Secretaria de Minas e Metalurgia. Brasília. [CD-ROM], 2001

CUTHBERT, M.O., ACWORTH, R.I., ANDERSEN, M.S., LARSEN, J.R., MCCALLUM, A.M., RAU, G.C., TELLAM, J.H. Understanding and quantifying focused, indirect groundwater recharge from ephemeral streams using water table fluctuations. Water Resources Research, v.52, p.827-840, 2016.

DE VRIES, J.J.; SIMMERS, I. Groundwater recharge: an overview of processes and challenges. Hydrogeology Journal. v.10, n.1, p.5-17, 2012.

DELIN, G. N.; HEALY, R. W.; LORENZ, D. L.; NIMMO, J. R.. Comparison of local-to regional-scale estimates of ground-water recharge in Minnesota, USA. Journal of Hydrology, v.334, n.1-2, p.231-249, 2006.

EMBRAPA. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 3ª. Edição. Rio de Janeiro: EMBRAPA, Centro Nacional de Pesquisa de Solos, 2013,353 p.

FEITOSA, E. C.; FEITOSA, F. A. C. Metodologia básica de pesquisa de água subterrânea, In: FEITOSA, F.A.C., MANOEL FILHO, J., FEITOSA, E.C., DE-METRIO, J.G.A. (EDS.), Hidrogeologia: Conceitos e aplicações. CPRM: LABHID, Rio de Janeiro, 2008. p.179-206.

FREEZE, R.A.; CHERRY, J.A. Groundwater. Prentice-Hall, Englewood Cliffs, New Jersey, p. 624, 1979.

HEALY, R. W. Estimating groundwater recharge. Cambridge University Press, 2010, 256 p.

HEALY, R. W.; COOK, P. G. Using ground-water levels to estimate recharge. Hydrogeology Journal, v.10, P.91-110, 2002.

HVORSLEV M. J. Time Lag and Soil Permeability in Ground-Water Observations. Bulletin n°36, U.S. Army Corps of Engineers, Waterways Experiment Station, Vicksburg, Mississippi, 1951,49p.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de Informações Básicas Municipais, 2020. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/-estatistica/economia/perfilmunic/>. Acesso em: 30 set. 2020.

JOHNSON, A. I. Specific yield – compilation of specific yields for various materials. US Geological Survey Water Supply. Paper 1662-D, 74p, 1967.

KING, A.C., RAIBER, M.; COX, M.E.; CENDON, D.I. Comparison of groundwater recharge estimation techniques in an alluvial aquifer system with an intermittent/ephemeral stream (Queensland, Australia). Hydrogeology Jounal. v.25, p. 1759–1777, 2017.

KRUSEMAN, G. P. & RIDDER, N. A. Analysis and Evaluation of Pumping Test Data. 2ª ed. International Institute for Land Reclamation and Improve-ment - ILRI. Amsterdam, Holanda, 2000. 372p.

LERNER, D. N.; ISSAR, A. S.; SIMMERS I. Groundwater Recharge: a guide to understanding and estimating natural recharge. International Contribu-tions to Hydrogeology, v.8, 1990.

MANOEL FILHO, J. Ocorrência das águas subterrâneas, In: FEITOSA, F.A.C., MANOEL FILHO, J., FEITOSA, E.C., DEMETRIO, J.G.A. (EDS.), Hidrogeolo-gia: Conceitos e aplicações. CPRM: LABHID, Rio de Janeiro, 2008. p.53-91.

MARTIN, L.; SUGUIO, K.; DOMINGUEZ, J.M.L.; FLEXOR, J.M. Geologia do quaternário costeiro do litoral norte do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. Belo Horizonte, CPRM-FAPESP, 1997, 104 p.

MEINZER, O. E. (1923) The Occurrence of Ground Water in the United States with a Discussion of Principles. Disponível em: <https://pubs.usgs.gov/wsp/0489/report.pdf>. Acesso em 01 out.2020.

MENDONÇA, J.C; SOUSA, E.F. (2014). Balanço Hídrico Climatológico Sequencial da Cultura da Cana-de-açúcar na Região Norte do Estado do Rio de Janeiro/2010 a Fevereiro/ 2013. In: organizadores em letra maiscula. Gestão de Águas no Baixa Paraíba do Sul: Região Hidrográfica IX do Estado do Rio de Janeiro, Essentia Editora, Campos dos Goytacazes, RJ. 2014. p, 129 – 152.

MOON, S.; WOO, N. C.; KWANG, G. L. Statistical analysis of hydrographs and water-table fluctuation to estimate groundwater recharge. Journal of Hydrology, v.292. p.198-209, 2004.

PAZDRO, Z. Hydrogeologia Ogólna, W.G. Warszawa, p.575. In: Alvarez, R.H.; Niedzielski, H., 1996. Estimacion de la recarga en la subcuenca Rio de las Avenidas Pachuca Hidalgo México. In: Congresso Latino-Americano de Hidr. Sub., 3. Atas..México: ALHSUD, p.35-46, 1983.

RONAYNE, M.J., ROUDEBUSH, J.A., STEDNICK, J.D. (2017). Analysis of managed aquifer recharge for retiming streamflow in an alluvial river. Journal of Hydrology, 544, 373-382.

SCANLON, B. R.; DUTTON, A.; SOPHOCLEOUS, M. (2003). Groundwater recharge in Texas: Bureau of Economic Geology. The University of Texas at Austin, Kansas Geological Survey, Lawrence, KS. Disponível em: <http://www.beg.utexas.edu/files/content/beg/research/swr/pubs/TWDBRechRept.pdf> Acesso em: 25 mar.2020.

SCANLON, B. R.; HEALLY, R. W.; COOK, P. G.. Choosing appropriate techniques for quantifying groundwater recharge. Hydrogeology Journal, v.10, p.18–39, 2002

SIEBERT, C. RÖDIGER, T.; MALLAST, U; GRÄBE, A.; GUTTMAN, J.; LARONNE, J. B.; STORZ-PERETZ, Y.; GREENMAN, A.; SALAMEH, E.; AL-RAGGAD, M.; VACHTMAN, D.; BEN ZVI, A.; IONESCU, D.; BRENNER, A. MERZ, R.; GEYER, S Challenges to estimate surface- and groundwater flow in arid regions: The Dead Sea catchment, Science of the Total Environment, v.485–486, n.1, p.828-841, 2014.

SILVA JUNIOR, G. C., ALVES, M. G. & MELLO, C. L. Projeto Avaliação Hidrogeológica da Formação Emborê na porção emersa da Bacia de Campos visando o descarte de produção de petróleo. Relatório Técnico Final. ANP/PETROBRAS, 2014.

TAKOUNJOU, A.F., NGOUPAYOU, J.R.N., RIOTTE, J. Estimation of groundwater recharge of shallow aquifer on humid environment in Yaounde, Came-roon using hybrid water-fluctuation and hydrochemistry methods. Environmental Earth Sciences, v.64, p.107–118, 2011.

WALKER, D., PARKIN, G., SCHMITTER, P., GOWING, J., TILAHUN, S. S., HAILE, A. T., YIMAM, A.Y. Insights from a multi‐method recharge estimation comparison study. Groundwater, v.57, n. p.245-258, 2019.

WALTER, T., ANTJE, B., BROSE, D., WOLTER, R. Determining natural background values with probability plots. In: MALOSZEWSKI, P.,WITCZAK, S.,MALINA, G. (Eds.), Groundwater Quality Sustainability, IAH - Selected Papers on Hydrogeology.cap 26. 2012. CRC Press, p. 331–342.

WENDLAND, E., AND MAZIERO, T.A. Spatial Variability of Recharge in an Urban Area. Brazilian Journal of Water Resources, v.13, n.3, p.35-46, 2008.

WINTER, W. R.; JAHNERT, R. J.; FRANÇA, A. B. Bacia de Campos. Boletim de Geociências da Petrobras, v.15, n.2 p.501-509, 2007.

XU, Y., BEEKMAN, H. (Eds). Groundwater Recharge Estimation in Southern Africa. UNESCO, Paris, 2003, (UNESCO IHP Series nº 64), (ISBN 92-9220-000-3).

Como Citar
Correia, L. C., Alves, M. da G., & Silva Júnior, G. C. da . (2021). Estimativa da recarga de água subterrânea utilizando o método WTF na porção continental da Bacia Sedimentar de Campos, Rio de Janeiro, Brasil. Águas Subterrâneas, 35(3). https://doi.org/10.14295/ras.v35i3.30079