A RECUPERAÇÃO DE VAZÃO DE POÇOS NO AQUÍFERO GUARANI, NA PORÇÃO OESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO, COM 1.460, 1.605 E 1.683 M UTILIZANDO O DESINCRUSTANTE NO RUST

JOSÉ PAULO GODOI MARTINS NETTO, FERNANDO WILI BASTOS FRANCO FILHO, CESAR BIANCHI NETO

Resumo


A água subterrânea tem grande importância em todo o sistema de abastecimento de água no Brasil, que conta com aproximadamente 1.000.000 de poços, que abastecem 48% da população (IBGE, 2002). A SABESP SP conta com aproximadamente 1.100 poços, com uma produção de água superior a 12.667.000 m³/mês, que perfazem um total de 21% da água produzida, e abastecem 377 sistemas e municípios.

Como os demais componentes do sistema, os poços também requerem manutenções, que são efetuadas muitas vezes de forma corretiva, e não preventiva. A SABESP, preocupada em preservar os poços existentes e meio ambiente, tem investido na reabilitação dos poços, com novos produtos e tecnologias (NO RUST e FERBAX), que proporcionam a recuperação de vazões, melhoria da qualidade de água e redução de energia.

O presente trabalho trata da reabilitação dos poços P15 (1.460m), P16 (1.683m) e P18 (1.605m) de profundidade, que exploram o Aquífero Guarani, e abastecem o Município de Fernandópolis – SP. O P15, de 1976, foi o primeiro Poço de que se tem notícias no Brasil, com mais de 1.000 m  de profundidade, para exploração de água potável. O P18, mais recente, foi construído em 1998.

Nestas reabilitações, foi utilizado o desincrustante NO RUST, isento de metais pesados, não tóxico, patenteado, que se mostrou adequado e eficiente, e em substituição ao ácido clorídrico, utilizado no passado, que poderia conter metais pesados, agredir os poços, e trazer severos riscos à saúde e meio ambiente.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/ras.v0i0.29424

_____________________________________________________________________

A revista Águas Subterrâneas é uma publicação da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas - ABAS - para divulgação de artigos científicos (originais e inéditos) sobre Hidrogeologia e outros temas pertinentes. Os artigos aceitos e finalizados são publicados em forma contínua e organizados sob a numeração de um Volume anual subdividido em vários Números com até 10 artigos cada um. 

A Revista Águas Subterrâneas é um periódico com classificação QUALIS Nacional e Internacional.

A Revista Águas Subterrâneas não cobra dos autores quaisquer taxas para submissão ou publicação. 


DISCLAIMER: Os Suplementos de Anais (congressos e encontros técnicos) aqui presentes são publicados na Revista Águas Subterrâneas exclusivamente por um ato de gentileza dos editores. De forma semelhante, os Estudos de Caso e Notas Técnicas são publicados com a intenção de prover um espaço para divulgação de dados e estudos de interesse local, sem obrigação de ter uma contribuiçao científica. Seus artigos NÃO PODEM e NÃO DEVEM ser considerados como publicações deste periódico. NÃO foram submetidos a revisão pelos avaliadores da revista. NÃO são contemplados na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O objetivo é tão somente o de ampliar a divulgação destes anais, estudos de caso e notas técnicas. Além disso, nestes documentos não é necessária e não será apresentada a numeração sequencial de páginas, como é feito para os artigos científicos. Os anais de eventos devem ser citados como tal, sem referência a este periódico. A Revista Águas Subterrâneas não se responsabiliza pelo conteúdo publicado nessas seções. 

  

É de LIVRE acesso a todos os interessados, gratuitamente.
 

ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, São Paulo, Brasil
eISSN 2179-9784 (eletrônico)
ISSN 0101-7004 (impresso)

Filiada:
 

Licença Creative Commons
Revista Águas Subterrâneas está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.


Todos aqueles que se cadastram na Revista Águas Subterrâneas tornam-se filiados da ABAS gratuitamente, podendo usufruir de descontos em eventos e material técnico. Por extensão, tornam-se também associados do Capítulo Brasileiro da Associação Internacional de Hidrogeólogos*, podendo também usufruir de descontos em eventos internacionais da IAH e outras ofertas. O acesso à revista é livre e independente do cadastramento

*Clique aqui para saber maiores detalhes e limitações dos filiados.