RECONSTRUÇÃO DA SÉRIE HISTÓRICA DE TRÍTIO EM PRECIPITAÇÃO ENTRE 1960 E 2015 NA ESTAÇÃO DE MONITORAMENTO GNIP BRASÍLIA

AURÉLIO FERNANDO PAIVA SILVA, STELA DALVA SANTOS COTA

Resumo


A principal utilização do trítio em hidrogeologia é na obtenção do tempo médio de residência de aquíferos através do uso de modelos de parâmetros agrupados (do inglês lumped parameters model). Para isso, é necessário o conhecimento da série histórica de entrada do trítio nas águas subterrâneas da região de interesse a partir das precipitações. Desde o ano de 1951 até 1963, os teores de trítio nas precipitações globais aumentaram significativamente. Esse aumento ocorreu devido aos testes nucleares realizados no hemisfério norte durante o período citado, resultando em um grande pico deste radioisótopo. A Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA) possui uma rede de monitoramento com estações ao redor de todo o mundo, denominada GNIP (Global Network Isotope in Precipitation), em que longas séries históricas de precipitações e seus respectivos teores isotópicos podem ser encontrados. No Brasil, uma série de estações pertencentes a rede GNIP podem ser encontradas como, por exemplo, as estações Porto Alegre, Cuiabá, Rio de Janeiro, Salvador, Brasília, dentre outras. No entanto, os intervalos de monitoramento dessas estações foram muito curtos compreendendo principalmente o período entre 1965 e 1976. A estação Brasília localiza-se em uma posição interior ao continente e estrategicamente próxima a importantes sistemas aquíferos como o Aquífero Guarani (região do triângulo mineiro) e o Aquífero Urucuia (região norte de Minas Gerais), por exemplo. O presente trabalho buscou a reconstrução da série histórica dos teores de trítio contidos nas precipitações da estação Brasília durante o intervalo de tempo entre 1960 e 2015, a partir do método da curva de referência dupla proposto por Doney et al. (1992) e dados da estação de monitoramento CDTN-Belo Horizonte.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


 
A RAS teve que passar por uma
reestruturação do seu banco de dados,
caso seu LOGIN e SENHA NÃO MAIS FUNCIONEM,
por favor, CADASTRE-SE NOVAMENTE.
Desculpe pelo transtorno.
_____________________________________________________________________

ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, São Paulo, Brasil
e-ISSN 2179-9784 (eletrônico)

É de LIVRE acesso a todos os interessados, gratuitamente.

 

A revista Águas Subterrâneas é uma publicação da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas - ABAS - para divulgação de artigos científicos (originais e inéditos) sobre Hidrogeologia e outros temas pertinentes.

Os artigos aceitos e finalizados são publicados de forma contínua  organizados sob a numeração de um Volume anual subdividido em vários Números com até 10 artigos cada um.
 
A Revista Águas Subterrâneas é um periódico com classificação QUALIS Nacional e Internacional.
 
A Revista Águas Subterrâneas não cobra dos autores quaisquer taxas para submissão ou publicação.

DISCLAIMER: Os Suplementos de Anais (congressos e encontros técnicos) aqui presentes são publicados na Revista Águas Subterrâneas exclusivamente por um ato de gentileza dos editores. De forma semelhante, os Estudos de Caso e Notas Técnicas são publicados com a intenção de prover um espaço para divulgação de dados e estudos de interesse local, sem obrigação de ter uma contribuiçao científica. Seus artigos NÃO PODEM e NÃO DEVEM ser considerados como publicações deste periódico. NÃO foram submetidos a revisão pelos avaliadores da revista. NÃO são contemplados na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O objetivo é tão somente o de ampliar a divulgação destes anais, estudos de caso e notas técnicas. Além disso, nestes documentos não é necessária e não será apresentada a numeração sequencial de páginas, como é feito para os artigos científicos. Os anais de eventos devem ser citados como tal, sem referência a este periódico. A Revista Águas Subterrâneas não se responsabiliza pelo conteúdo publicado nessas seções. 

Todos aqueles que se cadastram na Revista Águas Subterrâneas tornam-se filiados da ABAS gratuitamente, podendo usufruir de descontos em eventos e material técnico. Por extensão, tornam-se também associados do Capítulo Brasileiro da Associação Internacional de Hidrogeólogos*, podendo também usufruir de descontos em eventos internacionais da IAH e outras ofertas. O acesso à revista é livre e independente do cadastramento

*Clique aqui para saber maiores detalhes e limitações dos filiados.

Métricas

       

A Revista Águas Subterrâneas é filiada às seguintes Bases de Dados/Portais: 




 
Licença Creative Commons

Revista Águas Subterrâneas está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.