CONTAMINAÇÃO SAZONAL DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS DA BACIA DO RIO SÃO MIGUEL (MG) POR CÁDMIO E PROPOSIÇÃO DE VALORES DE BACKGROUND

THIAGO NOGUEIRA LUCON, PAULO HENRIQUE GALVÃO, PEDRO HENRIQUE DA SILVA ASSUNÇÃO, DÉBORA LARA PEREIRA

Resumo


A pesquisa buscou analisar as concentrações químicas do elemento cádmio (Cd) das águas subterrâneas da bacia do rio São Miguel, utilizando-se do mapeamento hidroquímico, visando o melhor conhecimento sobre a qualidade dessas águas perante padrões estabelecidos pelas legislações vigentes, além de verificar a influência da sazonalidade e propor valores de background para este elemento. A bacia está localizada no centro oeste de Minas Gerais, extremo meridional da bacia do rio São Francisco, inserida na Província Cárstica de Arcos Pains, representada principalmente por rochas carbonáticas e pelíticas da Formação Sete Lagoas (Grupo Bambuí), com exposições secundárias do embasamento granito-gnáissico pertencentes ao Complexo Campo Belo. A partir das análises químicas, realizou-se um tratamento de dados pelo Microsoft Excel®, onde foram gerados gráficos para uma melhor interpretação dos resultados. Com o intuito de melhorar a visualização dos resultados, as concentrações de Cd foram inseridas no ArcGis® 10.1 a fim de confeccionar mapas hidroquímicos de isovalores, utilizando as seguintes ferramentas (extensões) do sistema: Spatial Analyst, Spatial Tools e Inverse Distance Weighted (IDW). Além disso, os resultados foram comparados a valores orientados para verificar se as águas da região se encontram em conformidade com os padrões para consumo humano. Para 153 amostras de água subterrânea, as concentrações de Cd variaram de 0,001 a 15,63 μg/L, com cerca de 20% apresentando valores superiores a 1 µg/L, ou seja, acima do encontrado para as 110 estações analisadas pelo mundo todo; pouco mais de 1% apresentam valores superiores a 5 µg/L, superando as concentrações relatadas para as regiões cársticas da China ocidental (1 a 4 μg/L). O maior valor de Cd encontrado (15,63 µg/L) apresentou valor próximo ao relatado no aquífero cárstico de Yucatán, México, de 17,6 μg/L. Com isso, verificou-se a influência da sazonalidade na distribuição das concentrações de Cd.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/ras.v0i0.29319

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


 
A RAS teve que passar por uma
reestruturação do seu banco de dados,
caso seu LOGIN e SENHA NÃO MAIS FUNCIONEM,
por favor, CADASTRE-SE NOVAMENTE.
Desculpe pelo transtorno.
_____________________________________________________________________

ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, São Paulo, Brasil
e-ISSN 2179-9784 (eletrônico)

É de LIVRE acesso a todos os interessados, gratuitamente.

 

A revista Águas Subterrâneas é uma publicação da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas - ABAS - para divulgação de artigos científicos (originais e inéditos) sobre Hidrogeologia e outros temas pertinentes.

Os artigos aceitos e finalizados são publicados de forma contínua  organizados sob a numeração de um Volume anual subdividido em vários Números com até 10 artigos cada um.
 
A Revista Águas Subterrâneas é um periódico com classificação QUALIS Nacional e Internacional.
 
A Revista Águas Subterrâneas não cobra dos autores quaisquer taxas para submissão ou publicação.

DISCLAIMER: Os Suplementos de Anais (congressos e encontros técnicos) aqui presentes são publicados na Revista Águas Subterrâneas exclusivamente por um ato de gentileza dos editores. De forma semelhante, os Estudos de Caso e Notas Técnicas são publicados com a intenção de prover um espaço para divulgação de dados e estudos de interesse local, sem obrigação de ter uma contribuiçao científica. Seus artigos NÃO PODEM e NÃO DEVEM ser considerados como publicações deste periódico. NÃO foram submetidos a revisão pelos avaliadores da revista. NÃO são contemplados na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O objetivo é tão somente o de ampliar a divulgação destes anais, estudos de caso e notas técnicas. Além disso, nestes documentos não é necessária e não será apresentada a numeração sequencial de páginas, como é feito para os artigos científicos. Os anais de eventos devem ser citados como tal, sem referência a este periódico. A Revista Águas Subterrâneas não se responsabiliza pelo conteúdo publicado nessas seções. 

Todos aqueles que se cadastram na Revista Águas Subterrâneas tornam-se filiados da ABAS gratuitamente, podendo usufruir de descontos em eventos e material técnico. Por extensão, tornam-se também associados do Capítulo Brasileiro da Associação Internacional de Hidrogeólogos*, podendo também usufruir de descontos em eventos internacionais da IAH e outras ofertas. O acesso à revista é livre e independente do cadastramento

*Clique aqui para saber maiores detalhes e limitações dos filiados.

Métricas

       

A Revista Águas Subterrâneas é filiada às seguintes Bases de Dados/Portais: 




 
Licença Creative Commons

Revista Águas Subterrâneas está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.