Estudo Comparativo de Métodos para Determinação da Concentração de Radônio-222 em fontes naturais de águas no Planalto de Poços de Caldas, Brasil

Flavio Henrique de Souza Moreira, Heber Luiz Caponi Alberti, Maria Helena Tirollo Taddei, Nivaldo Carlos Silva, Peter Marshall Fleming

Resumo


Este estudo é uma comparação de métodos para determinar a concentração de radônio (222Rn), que foi realizado em fontes de água natural utilizadas pela população das cidades de Poços de Caldas e Águas da Prata no Planalto de Poços de Caldas, no sudeste do Brasil. O planalto está localizado em área afetada pela reativação de processos vulcânicos que ocorreram durante sua formação. Este é o maior complexo alcalino no Brasil e caracterizado por uma caldeira vulcânica de cerca de 30km de diâmetro, constituída por rochas ígneas plutônicas, onde são encontradas anomalias de urânio e tório. As amostragens foram realizadas em fontes naturais de água distribuídas pelas cidades e a concentração de 222Rn nas águas foi determinada em Becquerel por litro. Os níveis de radiação encontrados nas fontes naturais foram comparados com os limites das doses totais absorvidas por um indivíduo e os padrões de proteção radiológica estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A determinação da concentração de atividade de 222Rn encontrada nas águas foi possível através da captura de partículas alfa emitidas pelo decaimento do elemento, realizadas com o equipamento profissional de monitoramento de radônio (AlphaGUARD) e também pelo do método de contagem de cintilação líquida, utilizando equipamento da marca Camberra PACKARD. Os maiores valores aferidos foram de 657,2 Bq.L-1, medido pelo AlphaGUARD e, 513,2 Bq.L-1, obtido através do método de cintilação líquida.

Palavras-chave


Água de nascente. Radônio. Comparação metodológica.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.14295/ras.v32i1.28973

_____________________________________________________________________

A revista Águas Subterrâneas é uma publicação da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas - ABAS - para divulgação de artigos científicos (originais e inéditos) sobre Hidrogeologia e outros temas pertinentes. Os artigos aceitos e finalizados são publicados em forma contínua e organizados sob a numeração de um Volume anual subdividido em vários Números com até 10 artigos cada um. 

A Revista Águas Subterrâneas é um periódico com classificação QUALIS Nacional e Internacional.

A Revista Águas Subterrâneas não cobra dos autores quaisquer taxas para submissão ou publicação. 


DISCLAIMER: Os suplementos de anais (congressos e encontros técnicos) aqui presentes são publicados na Revista Águas Subterrâneas exclusivamente por um ato de gentileza dos editores. Seus artigos NÃO PODEM e NÃO DEVEM ser considerados como publicações deste periódico. NÃO foram submetidos a revisão pelos avaliadores da revista. NÃO são contemplados na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O objetivo é tão somente o de ampliar a divulgação destes anais. Além disso, por serem anais de eventos, não é necessária e não será apresentada a numeração de páginas. Devem ser citados como anais de eventos somente, sem referência a este periódico.

 

 
É de LIVRE acesso a todos os interessados, gratuitamente.
 
ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, São Paulo, Brasil
eISSN 2179-9784 (eletrônico)
ISSN 0101-7004 (impresso)

Filiada:
 

Licença Creative Commons
Revista Águas Subterrâneas está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.


Todos aqueles que se cadastram na Revista Águas Subterrâneas tornam-se filiados da ABAS gratuitamente, podendo usufruir de descontos em eventos e material técnico. Por extensão, tornam-se também associados do Capítulo Brasileiro da Associação Internacional de Hidrogeólogos*, podendo também usufruir de descontos em eventos internacionais da IAH e outras ofertas. O acesso à revista é livre e independente do cadastramento

*Clique aqui para saber maiores detalhes e limitações dos filiados.