Qualidade da Água da Bacia do Rio Pindaré, nos trechos correspondentes aos Municípios de Pindaré- Mirim, Tufilândia e Alto Alegre no Estado do Maranhão

Maria Raimunda Chagas Silva, Leonilde Vatanabe da Silva, Larissa Nascimento Barreto, Eduardo Henrique Costa Rodrigues, Rita de Cássia Mendonça de Miranda, Denilson Silva Bezerra, Dagolberto Calazans Araujo Pereira

Resumo


O presente estudo objetivou caracterizar físico-quimicamente a água da região do médio curso do Rio Pindaré sob jurisdição dos municípios de Pindaré- Mirim, Tufilândia, e Alto Alegre/MA. A fim de obter uma amostra representativa, foi coletada água em dez pontos distintos distribuídos no Rio Pindaré, ao longo de 24 meses em diferentes períodos sazonais, nos anos de 2010 e 2011. Os parâmetros físico-químicos analisados foram: temperatura, pH, turbidez, condutividade elétrica, oxigênio dissolvido e os íons amônio (NH4+), nitrito (NO2-), nitrato (NO3-) e fósforo total (PO43-). Durante o período de estudo, foi observada ampla variação na maioria das variáveis analisadas, com destaque para o fósforo total (PO43-) e a condutividade elétrica que apresentou resultados superiores aos estabelecidos pela resolução CONAMA 357/05. Quanto ao pH, as águas do Rio Pindaré foram na maior parte do tempo ácidas. As concentrações médias de nitrato variaram de 0,249 mgL-1 (período seco) e 0,267 mgL-1 (período chuvoso). Dos pontos coletados nos diferentes períodos, apenas no município de Alto Alegre se observou diferença estatística significativa quando o parâmetro testado foi o pH. Quando os parâmetros testados foram a condutividade elétrica e os ions amônio, nitrito e nitrato, observou-se diferença estatística significativa em todos os pontos testados nos três municípios com p≤0,05. Os resultados mostraram que o Rio Pindaré possui uma boa qualidade ambiental, apesar de apresentar desmatamento em suas margens comprometendo assim a sustentabilidade da bacia. As características físicas e químicas foram de extrema importância na dinâmica do ecossistema aquático sendo que os valores encontrados são considerados adequados para manutenção da vida aquática, segundo a resolução do CONAMA 357/2005.  


Palavras-chave


Sustentabilidade. Rio. Características limnológicas. Qualidade ambiental.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14295/ras.v31i4.28929

_____________________________________________________________________

A revista Águas Subterrâneas é uma publicação da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas - ABAS - para divulgação de artigos científicos (originais e inéditos) sobre Hidrogeologia e outros temas pertinentes. Os artigos aceitos e finalizados são publicados em forma contínua e organizados sob a numeração de um Volume anual subdividido em vários Números com até 10 artigos cada um. 

A Revista Águas Subterrâneas é um periódico com classificação QUALIS Nacional e Internacional.

A Revista Águas Subterrâneas não cobra dos autores quaisquer taxas para submissão ou publicação. 

É de LIVRE acesso a todos os interessados, gratuitamente.
 
ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, São Paulo, Brasil
eISSN 2179-9784 (eletrônico)
ISSN 0101-7004 (impresso)

Filiada:
 

Licença Creative Commons
Revista Águas Subterrâneas está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.


Todos aqueles que se cadastram na Revista Águas Subterrâneas tornam-se filiados da ABAS gratuitamente, podendo usufruir de descontos em eventos e material técnico. Por extensão, tornam-se também associados do Capítulo Brasileiro da Associação Internacional de Hidrogeólogos*, podendo também usufruir de descontos em eventos internacionais da IAH e outras ofertas. O acesso à revista é livre e independente do cadastramento

*Clique aqui para saber maiores detalhes e limitações dos filiados.