Avaliação físico-química das águas do processo de dessalinização de poços salobros e salinos em comunidades rurais do oeste potiguar

André Moreira de Oliveira, Nildo da Silva Dias, Jair José Rabelo de Freitas, Daniel Freitas Freire Martins, Lycia Nascimento Rabelo

Resumo


O fornecimento de água potável é o maior desafio das comunidades rurais da região semiárida do Brasil, que são caracterizadas pela escassez de recursos hídricos apropriados para consumo humano. Em uma tendência observada há alguns anos, os Governos Federal e Estadual têm buscado instalar equipamentos de dessalinização das águas salobras subterrâneas para a geração de água doce para o abastecimento de comunidades distantes dos centros urbanos. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade das águas oriundas do processo de dessalinização de poços em comunidades rurais do oeste potiguar e seus riscos quanto ao uso na irrigação. A pesquisa foi realizada no período de 2013 e 2014 e, inicialmente, foram identificadas as comunidades abastecidas com as unidades de captação e tratamento de água por dessalinização, através de um levantamento cadastral. Para isto, foram realizadas quatro campanhas de coletas em diferentes períodos do ano para avaliação da qualidade das águas potável do tratamento por osmose reversa, poço e rejeito salino, dentro de cada período. Foram analisados parâmetros físico-químicos das águas para fins de irrigação. As águas foram classificadas quanto ao uso na irrigação; aos riscos de problemas de infiltração no solo causados pela sodicidade da água e toxicidade em plantas. As estações de tratamento de água por osmose reversa nas comunidades rurais monitoradas produziram uma água dessalinizada com concentrações baixas de sais, com 68% do total das amostras na classe de classificação C1S1; 25% na classe C2S1 e; apenas 7% na classe C3S1. Com relação ao rejeito gerado, 93% das amostras de água de rejeito se classificaram como C3 ou C4 nos quatro períodos de coleta, ou seja, águas de alto ou extremamente alto risco de salinização.

Palavras-chave


Salinidade. Osmose reversa. Água residuária.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14295/ras.v31i2.28663

 
ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, São Paulo, Brasil
eISSN 2179-9784 (eletrônico)
ISSN 0101-7004 (impresso)

Filiada:

Licença Creative Commons
Revista Águas Subterrâneas está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.


Todos aqueles que se cadastram na Revista Águas Subterrâneas tornam-se filiados da ABAS gratuitamente, podendo usufruir de descontos em eventos e material técnico. Por extensão, tornam-se também associados do Capítulo Brasileiro da Associação Internacional de Hidrogeólogos*, podendo também usufruir de descontos em eventos internacionais da IAH e outras ofertas. O acesso à revista livre e independente do cadstramento

*Clique aqui para saber maiores detalhes e limitações dos filiados.