Avaliação do uso da cromatografia gasosa para detecção de hidrocarbonetos monoaromáticos na água subterrânea na região norte do município de Fortaleza (CE)

Evla Vívia Costa de Freitas, Francisco Maurício de Sá Barreto, Mariano da Franca Alencar Neto, Rivelino Martins Cavalcante

Resumo


A contaminação das águas subterrâneas por derivados do petróleo, como a gasolina é um dos principais impactos causados pela atividade comercial varejista de revenda de combustíveis automotivos. Uma das formas de se detectar esse tipo de impacto é realizar a caracterização da qualidade das águas subterrâneas próximas a esses locais quanto à presença de hidrocarbonetos monoaromáticos, como benzeno, tolueno, etilbenzeno e os isômeros do xileno (BTEX). Nesse sentido, buscou-se caracterizar a qualidade da água subterrânea quanto à presença de BTEX na região norte do município de Fortaleza - CE, área de estudo desta pesquisa. Para isso, foi implantada a metodologia analítica de detecção dos BTEX por cromatografia gasosa, acoplada aos detectores PID (fotoionização) e FID (ionização em chama), antecedida da técnica de pré-concentração da amostra headspace estático. O método foi validado através da avaliação dos parâmetros seletividade, linearidade, precisão (repetibilidade), exatidão (recuperação), limite de detecção (LD) e limite de quantificação (LQ). A amostragem da água subterrânea foi realizada pelo método de baixa-vazão, conforme a norma ABNT NBR 15847/2010, com o auxílio de um sistema de amostragem automatizado - Low-Flow Sampling, em 11 poços de monitoramento. O método analítico mostrou-se bastante seletivo, repetitivo, linear, apresentou boa recuperação (70 a 110%) e baixos limites de detecção (0,01 a 0,08 µg/L) e limite de quantificação (0,04 a 0,32 µg/L).  Os compostos BTEX foram detectados em todos os poços monitorados, entretanto as concentrações medidas ficaram muito a baixo dos valores máximos estabelecidos pela Resolução CONAMA 396/2008, que é de 5 µg.L-1, 170 µg.L-1, 200 µg.L-1 e 300µg.L-1, para o benzeno, tolueno, etilbenzeno e xilenos, respectivamente.


Palavras-chave


Água Subterrânea. Hidrocarbonetos monoaromáticos. Cromatografia gasosa.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/ras.v30i2.28609

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


 
_____________________________________________________________________

ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, São Paulo, Brasil
e-ISSN 2179-9784 (eletrônico)

É de LIVRE acesso a todos os interessados, gratuitamente.

 

A revista Águas Subterrâneas é uma publicação da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas - ABAS - para divulgação de artigos científicos (originais e inéditos) sobre Hidrogeologia e outros temas pertinentes.

Os artigos aceitos e finalizados são publicados de forma contínua  organizados sob a numeração de um Volume anual subdividido em vários Números com até 10 artigos cada um.
 
A Revista Águas Subterrâneas é um periódico com classificação QUALIS Nacional e Internacional.
 
A Revista Águas Subterrâneas não cobra dos autores quaisquer taxas para submissão ou publicação.

DISCLAIMER: Os Suplementos de Anais (congressos e encontros técnicos) aqui presentes são publicados na Revista Águas Subterrâneas exclusivamente por um ato de gentileza dos editores. De forma semelhante, os Estudos de Caso e Notas Técnicas são publicados com a intenção de prover um espaço para divulgação de dados e estudos de interesse local, sem obrigação de ter uma contribuiçao científica. Seus artigos NÃO PODEM e NÃO DEVEM ser considerados como publicações deste periódico. NÃO foram submetidos a revisão pelos avaliadores da revista. NÃO são contemplados na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O objetivo é tão somente o de ampliar a divulgação destes anais, estudos de caso e notas técnicas. Além disso, nestes documentos não é necessária e não será apresentada a numeração sequencial de páginas, como é feito para os artigos científicos. Os anais de eventos devem ser citados como tal, sem referência a este periódico. A Revista Águas Subterrâneas não se responsabiliza pelo conteúdo publicado nessas seções. 

Todos aqueles que se cadastram na Revista Águas Subterrâneas tornam-se filiados da ABAS gratuitamente, podendo usufruir de descontos em eventos e material técnico. Por extensão, tornam-se também associados do Capítulo Brasileiro da Associação Internacional de Hidrogeólogos*, podendo também usufruir de descontos em eventos internacionais da IAH e outras ofertas. O acesso à revista é livre e independente do cadastramento

*Clique aqui para saber maiores detalhes e limitações dos filiados.

Métricas

       

A Revista Águas Subterrâneas é filiada às seguintes Bases de Dados/Portais: 




 
Licença Creative Commons

Revista Águas Subterrâneas está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.