ASPECTOS SOBRE A HIDROGEOLOGIA E VULNERABILIDADE DO AQUÍFERO BARREIRAS SEMI-CONFINADO, A OESTE DA LAGOA DO BONFIM – NÍSIA FLORESTA/RN

José Braz Diniz Filho, Luiz Gustavo Moraes de Macedo, José Geraldo de Melo

Resumo


No setor a oeste da Lagoa do Bonfim, Nísia Floresta-RN, a cerca de 20 km ao sul de Natal/RN, tem-se sete (07) poços produtores no aquífero Barreiras inferior semi-confinado, os quais, juntamente com as águas superficiais captadas da própria lagoa, alimentam o sistema adutor Monsenhor Expedito, e abastecem 23 cidades e 53 comunidades (a cerca de 200 mil habitantes). Dada a importância do aquífero, no presente artigo são informados alguns aspectos hidrogeológicos revistos e discutidos a partir da literatura técnica local, complementados com uma atualização parcial dos dados efetuada em 2011 naquele setor, e com indicação de aspectos da vulnerabilidade natural do aquífero Barreiras semi-confinado. A aplicação do método GOD caracterizou uma baixa vulnerabilidade natural do aquífero semi-confinado. Apesar de protegido, torna-se sugestiva a hipótese de contaminação dessa porção inferior semi-confinada por drenança vertical descendente, oriunda do aquífero Barreiras superior livre, caso este estiver contaminado. Essas avaliações deveriam ser consideradas nos processos de gestão hídrica do aquífero Barreiras, visando manter as reservas subterrâneas ambientalmente protegidas e sustentáveis.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


 
_____________________________________________________________________

ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, São Paulo, Brasil
e-ISSN 2179-9784 (eletrônico)

É de LIVRE acesso a todos os interessados, gratuitamente.

 

A revista Águas Subterrâneas é uma publicação da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas - ABAS - para divulgação de artigos científicos (originais e inéditos) sobre Hidrogeologia e outros temas pertinentes.

Os artigos aceitos e finalizados são publicados de forma contínua  organizados sob a numeração de um Volume anual subdividido em vários Números com até 10 artigos cada um.
 
A Revista Águas Subterrâneas é um periódico com classificação QUALIS Nacional e Internacional.
 
A Revista Águas Subterrâneas não cobra dos autores quaisquer taxas para submissão ou publicação.

DISCLAIMER: Os Suplementos de Anais (congressos e encontros técnicos) aqui presentes são publicados na Revista Águas Subterrâneas exclusivamente por um ato de gentileza dos editores. De forma semelhante, os Estudos de Caso e Notas Técnicas são publicados com a intenção de prover um espaço para divulgação de dados e estudos de interesse local, sem obrigação de ter uma contribuiçao científica. Seus artigos NÃO PODEM e NÃO DEVEM ser considerados como publicações deste periódico. NÃO foram submetidos a revisão pelos avaliadores da revista. NÃO são contemplados na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O objetivo é tão somente o de ampliar a divulgação destes anais, estudos de caso e notas técnicas. Além disso, nestes documentos não é necessária e não será apresentada a numeração sequencial de páginas, como é feito para os artigos científicos. Os anais de eventos devem ser citados como tal, sem referência a este periódico. A Revista Águas Subterrâneas não se responsabiliza pelo conteúdo publicado nessas seções. 

Todos aqueles que se cadastram na Revista Águas Subterrâneas tornam-se filiados da ABAS gratuitamente, podendo usufruir de descontos em eventos e material técnico. Por extensão, tornam-se também associados do Capítulo Brasileiro da Associação Internacional de Hidrogeólogos*, podendo também usufruir de descontos em eventos internacionais da IAH e outras ofertas. O acesso à revista é livre e independente do cadastramento

*Clique aqui para saber maiores detalhes e limitações dos filiados.

Métricas

       

A Revista Águas Subterrâneas é filiada às seguintes Bases de Dados/Portais: 




 
Licença Creative Commons

Revista Águas Subterrâneas está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.