CARACTERIZAÇÃO HIDROGEOLÓGICA DA CIDADE DE SANTARÉM E DAS VILAS DE MOJUÍ DOS CAMPOS E ALTER-DO-CHÃO COM PROPOSTA TÉCNICA PARA A PERFURAÇÃO DE POÇOS TUBULARES PROFUNDOS

Josafá Ribeiro de Oliveira, José Maria do Nascimento Pastana, Paulo Sérgio Carvalho Navegante, Charles George P. S. Schalken

Resumo


A área estudada está localizada no município de Santarém, englobando a sede
municipal e as vilas de Mojuí dos Campos e Alter-do-Chão, no oeste do Estado do Pará, a
650 Km de Belém, entre as coordenadas geográficas de 02º20'/02º40'S e 54º40'/55º00' WGr.
Dentre as diversas fontes de água subterrânea destaca-se a Formação Alter-do-Chão, de
idade Cretáceo Superior/ Terciário, que constitui o principal sistema aqüífero da Bacia
Paleozóica do Amazonas.
A Formação Alter-do-Chão teve suas características hidrogeológicas estabelecidas, em
linhas gerais, a partir da análise dos perfis de poços tubulares profundos executados pela
CONTEP, HIDROENGE, COSANPA e CPRM, na bacia do igarapé Irurá, na cidade de
Santarém, além dos poços estratigráficos perfurados pela PETROBRÁS, na vila de Alter-do-
Chão e na cidade de Belterra.
Segunda cidade mais importante do Estado do Pará, Santarém ainda não dispõe de um
abastecimento de água capaz de atender à demanda da população, principalmente nos
bairros periféricos. Dos dez poços tubulares profundos existentes, somente sete estão em
funcionamento; os demais encontram-se desativados, aguardando a aquisição de bombas
submersas, para entrar em operação. A principal forma de captação de água subterrânea é realizada através de 100 poços ponteiras, de pequena profundidade (16 a 22m), ligados a
sistemas de bombeamento, constituído, cada sistema, por 10 poços.
As vilas de Mojuí dos Campos e Alter-do-Chão, apesar de representarem núcleos
populacionais em processo de expansão, economicamente importantes para o
desenvolvimento sustentável da região, não dispõem, ainda, de um eficiente sistema de
abastecimento público de água.
Este trabalho tem o objetivo de apresentar aos gestores estaduais e municipais um
diagnóstico do problema de abastecimento de água, em uma região que extrai do subsolo
praticamente toda a água que consome; propõe, também, diretrizes de procedimentos para
projetos de poços tubulares, além de abordar os custos desses serviços, os quais servirão de
balizadores para os setores público e privado.

Palavras-chave


Formação Alter-do Chão, Poço Tubular e Aqüífero

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


 
A RAS teve que passar por uma
reestruturação do seu banco de dados,
caso seu LOGIN e SENHA NÃO MAIS FUNCIONEM,
por favor, CADASTRE-SE NOVAMENTE.
Desculpe pelo transtorno.
_____________________________________________________________________

ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, São Paulo, Brasil
e-ISSN 2179-9784 (eletrônico)

É de LIVRE acesso a todos os interessados, gratuitamente.

 

A revista Águas Subterrâneas é uma publicação da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas - ABAS - para divulgação de artigos científicos (originais e inéditos) sobre Hidrogeologia e outros temas pertinentes.

Os artigos aceitos e finalizados são publicados de forma contínua  organizados sob a numeração de um Volume anual subdividido em vários Números com até 10 artigos cada um.
 
A Revista Águas Subterrâneas é um periódico com classificação QUALIS Nacional e Internacional.
 
A Revista Águas Subterrâneas não cobra dos autores quaisquer taxas para submissão ou publicação.

DISCLAIMER: Os Suplementos de Anais (congressos e encontros técnicos) aqui presentes são publicados na Revista Águas Subterrâneas exclusivamente por um ato de gentileza dos editores. De forma semelhante, os Estudos de Caso e Notas Técnicas são publicados com a intenção de prover um espaço para divulgação de dados e estudos de interesse local, sem obrigação de ter uma contribuiçao científica. Seus artigos NÃO PODEM e NÃO DEVEM ser considerados como publicações deste periódico. NÃO foram submetidos a revisão pelos avaliadores da revista. NÃO são contemplados na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O objetivo é tão somente o de ampliar a divulgação destes anais, estudos de caso e notas técnicas. Além disso, nestes documentos não é necessária e não será apresentada a numeração sequencial de páginas, como é feito para os artigos científicos. Os anais de eventos devem ser citados como tal, sem referência a este periódico. A Revista Águas Subterrâneas não se responsabiliza pelo conteúdo publicado nessas seções. 

Todos aqueles que se cadastram na Revista Águas Subterrâneas tornam-se filiados da ABAS gratuitamente, podendo usufruir de descontos em eventos e material técnico. Por extensão, tornam-se também associados do Capítulo Brasileiro da Associação Internacional de Hidrogeólogos*, podendo também usufruir de descontos em eventos internacionais da IAH e outras ofertas. O acesso à revista é livre e independente do cadastramento

*Clique aqui para saber maiores detalhes e limitações dos filiados.

Métricas

       

A Revista Águas Subterrâneas é filiada às seguintes Bases de Dados/Portais: 




 
Licença Creative Commons

Revista Águas Subterrâneas está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.