O USO DOS PERFIS GEOFÍSICOS NA DEFINIÇÃO DE AMBIENTES DEPOSICIONAIS

Geraldo Girão Nery, Sérgio B. R. de Barros

Resumo


Várias dificuldades ocorrem na definição litológica entre sedimentos das
Formações Botucatu e Pirambóia, na Bacia do Paraná. Tradicionalmente, a primeira é
considerada como tendo sido depositada em ambiente eólico enquanto a segunda, em
ambiente flúvio-lacustrino/eólico. Freqüentes interdigitações de camadas eólicas e fluviais
são encontradas na bibliografia mundial, indicando uma forte coexistência entre tais
depósitos. Exemplares de perfis geofísicos de poços profundos da PETROBRAS
mostram contatos abruptos entre ambas formações, como se fossem dois eventos em
separados. Por outro lado, constata-se, em simples consulta ao Banco de Dados de
perfis da HYDROLOG, exemplos clássicos de interdigitação em perfis de poços rasos.
As areias eólicas do Botucatu são praticamente isentas de argila em seus poros,
sendo, portanto, os bons aqüíferos da bacia. Ocorre nas areias sílticas do Pirambóia,
exatamente o contrário; o alto teor de argilosidade reduz sensivelmente sua eficiência
hidráulica. É importante ter-se em mente que critérios granulométricos usados para
identificar diferentes ambientes deposicionais, tornam-se ambíguos ou confusos quando
os sedimentos eólicos forem retrabalhados por rios.
Este trabalho mostra o uso dos perfis geofísicos na distinção qualitativa entre
sedimentos eólicos e subaquosos, sem levar em consideração denominações específicas
de formações, somente analisando o formato das curvas tipo API (American Petroleum
Institute).
O perfil de Raios Gama Convencional (RG) registra o teor de Urânio, Tório e
Potássio (K40) das rochas. A argilosidade dos aqüíferos é função do teor de K40
proveniente das micas e feldspatos preexistentes. Problemas que ocorram em arcósios e conglomerados policompostos podem ser contornados com o uso de outras curvas como
a Resistividade Indutiva Profunda (DIR ou 6FF40), Normal Curta (SN ou R16), embora
esta última seja bastante influenciada pelos volumes de lama e filtrado. Eventualmente,
podem ser utilizados o SP e o Sônico.

Palavras-chave


Perfis Geofísicos, Definição de Ambientes Sedimentares

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


 
A RAS teve que passar por uma
reestruturação do seu banco de dados,
caso seu LOGIN e SENHA NÃO MAIS FUNCIONEM,
por favor, CADASTRE-SE NOVAMENTE.
Desculpe pelo transtorno.
_____________________________________________________________________

ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, São Paulo, Brasil
e-ISSN 2179-9784 (eletrônico)

É de LIVRE acesso a todos os interessados, gratuitamente.

 

A revista Águas Subterrâneas é uma publicação da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas - ABAS - para divulgação de artigos científicos (originais e inéditos) sobre Hidrogeologia e outros temas pertinentes.

Os artigos aceitos e finalizados são publicados de forma contínua  organizados sob a numeração de um Volume anual subdividido em vários Números com até 10 artigos cada um.
 
A Revista Águas Subterrâneas é um periódico com classificação QUALIS Nacional e Internacional.
 
A Revista Águas Subterrâneas não cobra dos autores quaisquer taxas para submissão ou publicação.

DISCLAIMER: Os Suplementos de Anais (congressos e encontros técnicos) aqui presentes são publicados na Revista Águas Subterrâneas exclusivamente por um ato de gentileza dos editores. De forma semelhante, os Estudos de Caso e Notas Técnicas são publicados com a intenção de prover um espaço para divulgação de dados e estudos de interesse local, sem obrigação de ter uma contribuiçao científica. Seus artigos NÃO PODEM e NÃO DEVEM ser considerados como publicações deste periódico. NÃO foram submetidos a revisão pelos avaliadores da revista. NÃO são contemplados na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O objetivo é tão somente o de ampliar a divulgação destes anais, estudos de caso e notas técnicas. Além disso, nestes documentos não é necessária e não será apresentada a numeração sequencial de páginas, como é feito para os artigos científicos. Os anais de eventos devem ser citados como tal, sem referência a este periódico. A Revista Águas Subterrâneas não se responsabiliza pelo conteúdo publicado nessas seções. 

Todos aqueles que se cadastram na Revista Águas Subterrâneas tornam-se filiados da ABAS gratuitamente, podendo usufruir de descontos em eventos e material técnico. Por extensão, tornam-se também associados do Capítulo Brasileiro da Associação Internacional de Hidrogeólogos*, podendo também usufruir de descontos em eventos internacionais da IAH e outras ofertas. O acesso à revista é livre e independente do cadastramento

*Clique aqui para saber maiores detalhes e limitações dos filiados.

Métricas

       

A Revista Águas Subterrâneas é filiada às seguintes Bases de Dados/Portais: 




 
Licença Creative Commons

Revista Águas Subterrâneas está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.