ALUVIÕES COMO FONTE DE SUPRIMENTO HÍDRICO DE PEQUENAS COMUNIDADES: UM CASO DO DISTRITO DE SÃO FRANCISCO – MERUOCA/CE

Mickaelon Belchior Vasconcelos, Carla Maria Salgado Vidal Silva, Marlúcia Freitas Santiago

Resumo


Muitas comunidades sofrem problemas de abastecimento d’água; no Ceará a situação
não é diferente. O distrito de São Francisco localizado no município de Meruoca, distante 240 km
de Fortaleza, não dispõe de abastecimento público capaz de atender a população local. A área
possui dois domínios hidrogeológicos: um fissural, representado pelo corpo granítico do “Batólito
da Serra da Meruoca” e outro granular, representado pelos depósitos aluviais nos leitos dos vales. O
distrito tem seu abastecimento feito através de 52 cacimbões, 26 cacimbas, 7 fontes naturais e 1
poço tubular localizados nos aluviões. A condutividade elétrica das cacimbas é, em geral, mais
baixa que a dos cacimbões, predominando valores de até 100 μS/cm para as cacimbas e de até 200
μS/cm para os cacimbões. Os pontos d’água que abastecem o distrito de São Francisco apresentam
condutividade elétrica entre 56 μS/cm e 540 μS/cm, ou seja, apropriada para consumo humano. A
região foi dividida em sete subsistemas aqüíferos de acordo com a rede de drenagem. Os
subsistemas Santo Elias, Santo Antonio, Cajueiro e Santo Inácio apresentam os valores mais baixos
de condutividade elétrica, seguidos por Santa Úrsula e os que apresentam os valores mais elevados
são Juazeiro/Soledade e São Francisco.

Palavras-chave


Aluvião, Poços escavados, Ceará

Texto completo:

PDF


_____________________________________________________________________

A revista Águas Subterrâneas é uma publicação da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas - ABAS - para divulgação de artigos científicos (originais e inéditos) sobre Hidrogeologia e outros temas pertinentes. Os artigos aceitos e finalizados são publicados em forma contínua e organizados sob a numeração de um Volume anual subdividido em vários Números com até 10 artigos cada um. 

A Revista Águas Subterrâneas é um periódico com classificação QUALIS Nacional e Internacional.

A Revista Águas Subterrâneas não cobra dos autores quaisquer taxas para submissão ou publicação. 


DISCLAIMER: Os Suplementos de Anais (congressos e encontros técnicos) aqui presentes são publicados na Revista Águas Subterrâneas exclusivamente por um ato de gentileza dos editores. De forma semelhante, os Estudos de Caso e Notas Técnicas são publicados com a intenção de prover um espaço para divulgação de dados e estudos de interesse local, sem obrigação de ter uma contribuiçao científica. Seus artigos NÃO PODEM e NÃO DEVEM ser considerados como publicações deste periódico. NÃO foram submetidos a revisão pelos avaliadores da revista. NÃO são contemplados na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O objetivo é tão somente o de ampliar a divulgação destes anais, estudos de caso e notas técnicas. Além disso, nestes documentos não é necessária e não será apresentada a numeração sequencial de páginas, como é feito para os artigos científicos. Os anais de eventos devem ser citados como tal, sem referência a este periódico. A Revista Águas Subterrâneas não se responsabiliza pelo conteúdo publicado nessas seções. 

  

É de LIVRE acesso a todos os interessados, gratuitamente.
 

ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, São Paulo, Brasil
eISSN 2179-9784 (eletrônico)
ISSN 0101-7004 (impresso)

Filiada:
 

Licença Creative Commons
Revista Águas Subterrâneas está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.


Todos aqueles que se cadastram na Revista Águas Subterrâneas tornam-se filiados da ABAS gratuitamente, podendo usufruir de descontos em eventos e material técnico. Por extensão, tornam-se também associados do Capítulo Brasileiro da Associação Internacional de Hidrogeólogos*, podendo também usufruir de descontos em eventos internacionais da IAH e outras ofertas. O acesso à revista é livre e independente do cadastramento

*Clique aqui para saber maiores detalhes e limitações dos filiados.