A INFLUÊNCIA DOS BASALTOS E DE MISTURAS COM ÁGUAS DE AQÜÍFEROS SOTOPOSTOS NAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS DO SISTEMA AQÜÍFERO SERRA- GERAL NA BACIA DO RIO PIQUIRI, PARANÁ - BR

André Virmond Lima Bittencourt, Ernani Francisco da Rosa Filho, Eduardo Chemas Hindi, Antonio Carlos Buchmann Filho

Resumo


Os principais processos de condicionamento do quimismo das águas do aqüífero Serra Geral na bacia hidrográfica do rio Piquiri são a dissolução dos basaltos e equilíbrio com minerais secundários, bem como misturas com águas de aqüíferos sotopostos. Condições hidráulicas favoráveis quando associadas a descontinuidades geológicas em escala regional, possibilitam a ascensão de águas armazenadas no Sistema Aqüífero Guarani (SAG) para o Sistema Aqüífero Serra Geral na bacia hidrográfica do Piquiri, localizada no Estado do Paraná-Brasil. O SAG, neste caso, recarrega o aqüífero superior. Em situações onde o SAG encontra-se com elevadas concentrações de sulfato, assim como de outras substâncias, em condições piezométricas adequadas, poços que secionam apenas os basaltos passam a produzir águas misturadas, às vezes com características inadequadas ao consumo humano. Este processo resulta numa contaminação natural do Sistema Aqüífero Serra Geral. As águas nos basaltos estão armazenadas nas estruturas tectônicas, pelas quais ocorre a sua circulação. Na ausência de mistura com águas de aqüíferos subjacentes, as águas deste aqüífero são de excelente qualidade visto que o índice de precipitação na região varia entre 1200 a 1400 mm/ano. O íon predominante do sistema Aqüífero Serra Geral é o bicarbonato cujo teor médio é de 48,95 mg/L. O pH médio é de 7,32 sendo a média para os sólidos totais dissolvidos (STD) 103,27 mg/L. A média de cloretos é de 1,39 mg/L, atingindo um valor máximo de 6 mg/L. O sulfato possui teor médio de 2,47 mg/L, sem ultrapassar o teor de 6 mg/L. O cálcio possui um teor médio de 9,78 mg/L, sendo que 52,5 % das amostras apresentam teores inferiores a 10 mg/L e 96,7 % estão abaixo de 20 mg/L. O sódio possui uma média de 8,49 mg/L, sendo que 85,3 % das amostras estão abaixo de 15 mg/L. Definiu-se três classes para as águas dos poços perfurados no sistema Aqüífero Serra Geral, na região de abrangência da bacia hidrográfica do Piquiri, a saber: 1) águas bicarbonatadas cálcicas (62,2 % das amostras); 2) águas bicarbonatadas cálcio sódicas e bicarbonatadas cálcio magnesianas (22,9 % das amostras); 3) águas bicarbonatadas sódicas (11,4 % das amostras são águas provenientes dos aqüíferos subjacentes). Foram encontradas ainda, duas amostras de águas bicarbonatadas magnesianas (3,5 %), porém neste caso foram consideradas como exceção em face de sua pouca significância.

ABSTRACT

The mains processes of responsible for the chemical characteristics of Serra Geral aquifer are the basalt weathering and equilibrium reactions with secondary minerals and mixing with underlayered aquifers. Favorable hydraulic conditions, when associated with regional geological discontinuities, induce the ascension of the waters stored in the Guarani Aqüifer System (SAG) to the Serra Geral basaltic aquifer. The same process occurs, at Piquiri river watershed in Paraná State, Southern Brazil the target of this case study. This process can lead to a decreasing in the water quality, when some natural contaminants come together with the water by tectonic fractures. The presence of fluorine in SAG is known, and the contribution of water coming from deeper aquifers in Serra Geral wells is suggested by the presence of Sulfate and sodium bicarbonate waters. With a pH ranging around 7,32, the dominant ion in Serra Geral Aqüifer System is the bicarbonate (48,95 mg/L), and the calcium (9,78 mg/L) is the major cation. Sodium (8,5 mg/L) is present under 15 mg/L in 85% of the cases and the chloride mean is 1,39 mg/L with 8,5 mg/L mean. The magnesium is present also in low values (2,42 mg/L). The chemical character of waters is mainly calcium bicarbonate and calcium-magnesium, waters that acquire more and more a sodium characteristic with increasing mixing with under-basalt waters. This process is the same observed in other hydrographic basins in Paraná State. The Piquiri wells composition and mixing processes can be seen in plotting the water samples compositions in Piper diagram and in a cation triangular diagram whith draws of the waters families limited by lines representing the inter cationic relations (PRIC).


Palavras-chave


aqüífero fissurado; hidroquímica; basalto; sistema aqüífero Serra Geral; fractured aquifer; hydrochemistry; basalt waters; Serra Geral aquifer System

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/ras.v17i1.1313

_____________________________________________________________________

A revista Águas Subterrâneas é uma publicação da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas - ABAS - para divulgação de artigos científicos (originais e inéditos) sobre Hidrogeologia e outros temas pertinentes. Os artigos aceitos e finalizados são publicados em forma contínua e organizados sob a numeração de um Volume anual subdividido em vários Números com até 10 artigos cada um. 

A Revista Águas Subterrâneas é um periódico com classificação QUALIS Nacional e Internacional.

A Revista Águas Subterrâneas não cobra dos autores quaisquer taxas para submissão ou publicação. 


DISCLAIMER: Os Suplementos de Anais (congressos e encontros técnicos) aqui presentes são publicados na Revista Águas Subterrâneas exclusivamente por um ato de gentileza dos editores. De forma semelhante, os Estudos de Caso e Notas Técnicas são publicados com a intenção de prover um espaço para divulgação de dados e estudos de interesse local, sem obrigação de ter uma contribuiçao científica. Seus artigos NÃO PODEM e NÃO DEVEM ser considerados como publicações deste periódico. NÃO foram submetidos a revisão pelos avaliadores da revista. NÃO são contemplados na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O objetivo é tão somente o de ampliar a divulgação destes anais, estudos de caso e notas técnicas. Além disso, nestes documentos não é necessária e não será apresentada a numeração sequencial de páginas, como é feito para os artigos científicos. Os anais de eventos devem ser citados como tal, sem referência a este periódico. A Revista Águas Subterrâneas não se responsabiliza pelo conteúdo publicado nessas seções. 

  

É de LIVRE acesso a todos os interessados, gratuitamente.
 

ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, São Paulo, Brasil
eISSN 2179-9784 (eletrônico)
ISSN 0101-7004 (impresso)

Filiada:
 

Licença Creative Commons
Revista Águas Subterrâneas está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.


Todos aqueles que se cadastram na Revista Águas Subterrâneas tornam-se filiados da ABAS gratuitamente, podendo usufruir de descontos em eventos e material técnico. Por extensão, tornam-se também associados do Capítulo Brasileiro da Associação Internacional de Hidrogeólogos*, podendo também usufruir de descontos em eventos internacionais da IAH e outras ofertas. O acesso à revista é livre e independente do cadastramento

*Clique aqui para saber maiores detalhes e limitações dos filiados.