Águas Subterrâneas https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas <p><a title="Congresso 2020" href="https://iah2021brazil.org/" target="_blank" rel="noopener"><img src="https://aguassubterraneas.abas.org/public/site/images/everton/Banner_IAH_1200x400px_01-2_600PX.gif" alt="" /></a></p> <p class="texto-azul-pequeno"><span style="font-size: small; color: #0d3e7a;">O Congresso Mundial de Águas Subterrâneas de 2021 reunirá pela primeira vez três grandes grupos, a Associação Internacional de Hidrogeólogos (IAH), a Associação Latino-Americana de Águas Subterrâneas (ALHSUD) e a Associação Brasileira de Águas Subterrâneas (ABAS).</span></p> <p class="texto-azul-pequeno"><span style="font-size: small; color: #0d3e7a;">O ano de 2020 foi marcado por enormes desafios, impostos às pessoas e aos negócios. Em virtude disso e em formato inédito, entre 20/09/2020 e 21/08/2021 o evento será online, com a realização de lives e webinars, fomentando assim importantes e ricas discussões entre os players do setor. Já, entre 22 e 27/08/2021 será dada continuidade ao evento em formato híbrido (presencial e online), no espaço Arca, em São Paulo.</span></p> <div style="text-align: center;"><span style="font-size: small; color: #0d3e7a;">Faça parte do evento! Juntos, formaremos a maior comunidade de águas subterrâneas do mundo!</span> <div style="text-align: center;"><a href="https://iah2021brazil.org/" target="_blank" rel="noopener"><span style="font-size: small; color: #0d3e7a;"><img src="https://aguassubterraneas.abas.org/public/site/images/everton/INSCREVA-SE-JÁ.gif" alt="" /></span></a> <div style="text-align: center;"> </div> </div> </div> pt-BR <p align="justify">Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude da aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.</p> everton@hidroplan.com.br (Everton de Oliveira) everton@hidroplan.com.br (Everton de Oliveira) seg, 23 nov 2020 00:00:00 -0300 OJS 3.2.1.2 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Caracterização dos Sistemas Aquíferos do Distrito Ferrífero de Itabira, Minas Gerais https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/30014 <table> <tbody> <tr> <td> <p>Este estudo pretende contribuir para o conhecimento hidrogeológico da região e o melhor entendimento do funcionamento deste sistema aquífero e de suas inter-relações com os demais aquíferos. A escolha desta região para o estudo baseou-se em um conjunto de características incluindo: a representatividade geológica, as grandes reservas de minério de ferro e os grandes empreendimentos minerários, existência de estudos realizados pelas mineradoras e importância das águas subterrâneas para o abastecimento de água do município. Foram identificados os seguintes sistemas aquíferos: Sistema Aquífero Coberturas Detríticas, Sistema Aquífero das Rochas Ultrabásicas, Sistema Aquífero Galho do Miguel, Sistema Aquífero Membro Campo Sampaio, Sistema Aquífero Sopa Brumadinho, Sistema Aquífero Gnáissico-Granítico, Sistema Aquífero Piracicaba, Sistema Aquífero Itabira, Sistema Aquífero Nova Lima, Sistema Aquífero Gnáissico-Granítico. Os poços mais produtivos são os perfurados nas formações ferríferas do Cauê, (Q<sub>média</sub>=41,75 m<sup>3</sup>/h)), seguidos pelos poços perfurados dos quartzitos do Grupo Piracicaba (Q<sub>média</sub>=34,01 m<sup>3</sup>/h) e, por fim, os poços menos produtivos são os perfurados nas rochas do Grupo Nova Lima e Complexo Granito-Gnáissico (Q<sub>média</sub>=13,30 m<sup>3</sup>/h).</p> </td> </tr> </tbody> </table> José Augusto Costa Gonçalves, Pedro Henrique Rodrigues Pereira, Milena Stefany Lage Almeida Copyright (c) 2021 Águas Subterrâneas https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/30014 sex, 12 mar 2021 00:00:00 -0300 Avaliação da qualidade da água de poços tabulares do lençol freá-tico na cidade de Paracuru-Ceará, Brasil https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/30002 <table> <tbody> <tr> <td> <p>A questão da falta de saneamento básico e esgotamento sanitário é um dos maiores desafios para os países em desenvolvimento. Na atual conjuntura brasileira, as cidades apresentam crescimento populacional superior ao ritmo de construção de infraestrutura, o que causa uma deficiência e falta de acesso dos serviços de saneamento. A cidade de Paracuru-CE possui grande disponibilidade de água subterrânea, mas que pode estar com sua qualidade comprometida por falta de uma rede de esgoto eficiente que atenda toda a comunidade. O estudo busca caracterizar a situação do recurso hídrico subterrâneo na cidade, através de análises químico-físicas e microbiológicas de 20 poços artesianos, antes e depois do veraneio de 07 de julho a 07 de agosto de 2019. Dentre os resultados encontrados nesse estudo, observou-se nas análises microbiológicas, 35% das amostras de águas subterrâneas, encontram-se contaminadas por bactérias heterotróficas, 90% com coliformes fecais e 15% com Escherichia coli. Nas análises físico-químicas encontra-se 15% pH fora do dos limites de potabilidade, de acordo com a Portaria Nº 2914/2011 do Ministério da Saúde, 20% com ferro, 15% com turbidez e 15% com cor aparente, indicando a ausência ou deficiência de saneamento básico adequado na maior parte da cidade.</p> </td> </tr> </tbody> </table> Carlos Virgilio Aparecido do Vale Peixoto, Liana Johann Copyright (c) 2021 Águas Subterrâneas https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/30002 dom, 14 fev 2021 00:00:00 -0300 Avaliação de locais para perfuração de poços tubulares no Sistema Aquífero Serra Geral no estado do Rio Grande do Sul por meio da análise dos fatores condicionantes e uso de técnicas de sensoria-mento remoto https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/30001 <table> <tbody> <tr> <td> <p>A prospecção de água subterrânea em regiões de ocorrência de aquíferos fraturados é uma tarefa complexa sendo que para a realização dessa atividade devem ser analisados diferentes parâmetros que condicionam a ocorrência desses aquíferos. Este trabalho tem por meta apresentar o estudo de locais mais favoráveis para a perfuração de poços no Sistema Aquífero Serra Geral (SASG) no estado do Rio Grande do Sul. Na área de ocorrência do SASG quatro fatores fundamentais controlam o potencial de água subterrânea. Assim, o SASG foi dividido em seis áreas aquíferas, sendo que em cada uma delas foram avaliadas as características do clima, solos, geomorfologia e litologia. A definição de áreas mais favoráveis foi feita com base na interpretação de imagens de sensoriamento remoto (modelo numérico do terreno), cartas topográficas e na avaliação das características de cada uma das áreas. Os resultados indicaram que a área aquífera do Planalto Médio é a de maior potencial em quantidade de água, seguida das áreas do Planalto dos Campos Gerais, Planalto de Soledade, Alto Uruguai, Serra Geral e Planalto de Uruguaiana. A locação de poços tubulares deve ser realizada com base na avaliação dos lineamentos (comprimento, orientação, grau de dissecação e intersecções), sendo que as áreas mais favoráveis a ocorrência de água estão associadas a intersecção de lineamentos, bem como a ocorrência de lineamentos de maior porte e com orientação noroeste.</p> </td> </tr> </tbody> </table> Nelson Amoretti Lisboa, Pedro Antonio Roehe Reginato Copyright (c) 2021 Águas Subterrâneas https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/30001 dom, 14 fev 2021 00:00:00 -0300 Identificação do tipo de acidez responsável pela agressividade de águas subterrâneas https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/29976 <p>O estado do Ceará localizado na região Nordeste do Brasil, encontra-se, na sua totalidade, incluído no denominado Polígono das Secas e apresenta um regime pluviométrico marcado por extrema irregularidade de chuvas. A formação geológica, com cerca de 75% de solos cristalinos, torna o potencial de águas subterrâneas bastante baixo mas não diminui sua importância como alternativa de abastecimento de água para a população. Na região é comum a captação da água subterrânea, através de poços e dependendo da agressividade da água devido à presença de acidez, situações de corrosão poderão ocorrer no concreto da estrutura da parede de proteção e segurança do poço e nas tubulações de ferro. Diante do exposto, o estudo teve como objetivo identificar o tipo de acidez responsável pela agressividade, com base no índice de saturação de Langelier em águas de poços localizados em cinco distritos de dois municípios do Estado do Ceará. As amostras foram coletadas durante os meses de janeiro, fevereiro e março de 2020 e as análises foram realizadas no Laboratório de Química Ambiental do Núcleo de Tecnologia e Qualidade Industrial do Ceará. De acordo com os resultados obtidos, concluiu-se que a agressividade das águas foi devido à acidez carbônica.</p> Erika de Almeida Sampaio Braga, Francisco Belmino Romero, Marisete Dantas de Aquino, Carlos Márcio Soares Rocha, Luzia Suerlange Araújo dos Santos Mendes Copyright (c) 2020 Águas Subterrâneas https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/29976 seg, 21 dez 2020 00:00:00 -0300 Análise da qualidade da água subterrânea https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/29972 <p>Este trabalho teve por objetivo avaliar a qualidade da água subterrânea do aquífero livre na microbacia do igarapé Nazaré (Ji-Paraná-RO), por meio de análises físico-químicas e microbiológicas. Foram realizadas 4 coletas de amostras de água em 15 poços rasos nos meses de (março, junho, setembro e dezembro de 2019). Os parâmetros condutividade elétrica, temperatura e o pH foram determinadas <em>in loco</em> por meio de sonda multiparâmetros. A turbidez e os sólidos totais dissolvidos foram determinados no laboratório com sondas especificas. O oxigênio dissolvido foi determinado pelo método titulométrico, a alcalinidade total foi obtida por titulação potenciométrica. As análises dos nutrientes foram realizadas por métodos espectrofotométricos, e as análises microbiológicas realizadas conforme o método de membrana filtrante em meio cromogênico. De acordo com os Valores Máximos Permitidos estabelecidos pela Portaria de Consolidação n° 5/2017 do Ministério da Saúde e com a Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA n° 396/2008, estiveram em desconformidade com tais legislações os coliformes totais, <em>Escherichia coli</em>, pH, turbidez e o nitrato. A análise de componentes principais não evidenciou diferença entre os períodos avaliados. Os resultados indicaram que a água dos poços encontra-se fora do padrão de potabilidade permitido para o consumo, podendo apresentar riscos à saúde humana.</p> Josilena de Jesus Laureano, Alan Gomes Mendonça, Daíse da Silva Lopes, Lindolaine Machado de Sousa, Tiago de Oliveira Lima, Ana Lúcia Denardin da Rosa, Wanderley Rodrigues Bastos, Elisabete Lourdes do Nascimento Copyright (c) 2020 Águas Subterrâneas https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/29972 seg, 21 dez 2020 00:00:00 -0300 Efeito da interpolação de dados hidrogeológicos em aquíferos sedimentares: estudo de caso no estado do Paraná https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/29911 <div><table cellspacing="0" cellpadding="0" align="left"><tbody><tr><td align="left" valign="top"><div><p class="Resumoeabstract">A água subterrânea é de grande importância como reserva hídrica e o uso de Sistemas de Informações Geográficas tem se mostrado eficaz para a compreensão da ocorrência e movimentação deste recurso. O objetivo do estudo foi avaliar métodos de interpolação aplicados a dados hidrogeológicos com a verificação do impacto gerado pelo processo de estimativa. Os métodos avaliados foram os interpoladores Inverso da Distância Ponderada, Triangulação e Topo to Raster e os dados considerados foram os parâmetros hidrogeológicos dos aquíferos sedimentares no estado do Paraná: Furnas, Itararé, Rio Bonito, Passa Dois, Guarani e Caiuá. Os resultados foram avaliados de acordo com a ocorrência de estimativas positivas e negativas, normalized root mean square e precisão do interpolador ao gerar resultados mais próximos dos valores observados. Esse estudo mostrou o efeito da interpolação em dados hidrogeológicos indicando que o Inverso da Distância Ponderada foi o método mais adequado para os parâmetros e aquíferos focos do estudo, pois apresentou as menores variações entre os valores observados e os estimados e os menores valores de normalized root mean square (entre 0 e 0,108). Esse estudo demonstra a importância em escolher o método adequado para intepretação de dados em regiões não amostradas devido às grandes variações em interpolar dados.</p></div></td></tr></tbody></table></div> Paula Gabriela Leal Hernandez, Gustavo Barbosa Athayde, Camila de Vasconcelos Muller Athayde, Otavio Augusto Boni Licht Copyright (c) 2020 Águas Subterrâneas https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/29911 seg, 23 nov 2020 00:00:00 -0300 Caracterização do comportamento da cafeína em meio não saturado a partir do emprego de ensaios de coluna https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/29949 <table> <tbody> <tr> <td> <p>Uma forma de verificar a origem de um contaminante às águas subterrâneas é através da presença da cafeína no meio, uma vez que a mesma é um indicador direto de contaminação por efluentes domésticos. Neste contexto, este trabalho tem como objetivo analisar a influência do meio não saturado na percolação deste composto e relacionar sua presença em poços de captação de água subterrânea. Para tal, foi utilizado sedimentos das unidades geológicas aflorantes da Formação Barreiras e dos Depósitos Litorâneos e realizados ensaios de coluna em três diferentes tamanhos (0,5 / 1,0 e 2 metros), onde foi lançada solução de cafeína pré-definida em cada uma delas (para cada tipo de sedimento específico) e coletado em seu final. Os resultados mostram que para a formação Barreiras (caracterizada por possuir intercalações de argila e silte), a cafeína foi retida apenas no primeiro metro de sedimentos, onde percebeu-se que a presença ou ausência de elementos no meio, são fundamentais para influenciar na capacidade de retenção do composto neste tipo de sedimento. Já os Depósitos Litorâneos (sedimentos não consolidados) removeram a cafeína de maneira progressiva, permitindo inferir que para este tipo de formação, a profundidade dos sedimentos é fator predominante na remoção de tal composto. Quando analisado tais resultados com a quantidade de cafeína presente nos poços de águas subterrâneas, constatou-se que, quando não associado a outros tipos de processos, a quantidade de cafeína lançada tanto nos Depósitos litorâneos quanto na Formação Barreiras foi inferior a 350 mg/L e 100 mg/L, respectivamente.</p> </td> </tr> </tbody> </table> Antonioni Duarte Lins Guerrera, Cleuda Custódio Freire, Bruno Cavalcante Costa, José Vitor Ribeiro Rocha Copyright (c) 2021 Águas Subterrâneas https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/29949 sex, 08 jan 2021 00:00:00 -0300 O uso da ferramenta CALPOHID e de valores diferentes de recarga na avaliação do comprometimento e do potencial hídrico subterrâneo de bacias hidrográficas https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/29918 <table> <tbody> <tr> <td> <p>A estimativa do potencial hídrico subterrâneo e do comprometimento do mesmo se faz necessária para auxiliar na seleção de medidas em prol do uso sustentável do aquífero. Tais informações se tornam ainda mais relevantes em áreas com maior adensamento de poços e inseridas em sistemas aquíferos fraturados. Esse é o caso da área de estudo, que está inserida na bacia hidrográfica Taquari-Antas, onde há ocorrência do Sistema Aquífero Serra Geral (SASG). O objetivo deste estudo foi o de analisar a variação do volume do potencial hídrico subterrâneo (Po) e do comprometimento do mesmo (C), à frente de 5 métodos de estimativa da recarga: 2 variações de métodos de balanço hídrico e 3 métodos baseados em águas superficiais. Para tanto, foi desenvolvida uma ferramenta de cálculo do Po e C, denominada CALPOHID, onde foram simulados 5 cenários de potencial, considerando-se 15, 20, 25, 50 e 100% da recarga, e 3 cenários de disponibilidade hídrica instalada (Di), considerando os tempos de bombeamento médio de 18 e 24h. Na maioria dos casos ocorreram diferenças significativas entre os métodos com capacidade de atenderem, no mínimo, 42% o valor de Di em seu cenário mais crítico. Contudo, tais diferenças só resultaram em variações no grau de comprometimento para os cenários de potencial de 15, 20 e 25% da recarga. Logo, o método do balanço hídrico (BH1), foi o que resultou nas menores diferenças em relação aos demais métodos, propiciando um caminho ponderado entre os 5 métodos simulados. A ferramenta CALPOHID demonstrou ser eficiente para a comparação de cenários de potencial e comprometimento diante de diferentes dados de recarga e Di.</p> </td> </tr> </tbody> </table> Tuane de Oliveira Dutra, Pedro Antonio Roehe Reginato, Taison Anderson Bortolin Copyright (c) 2021 Águas Subterrâneas https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/29918 dom, 28 fev 2021 00:00:00 -0300 Comparação Entre Traçadores Químicos Fluorescentes e Seus Respectivos Resultados Obtidos Através da Metodologia de Injeção de Traçadores no Entorno de Cavidades Para Detecção de Influência Hídrica. Estudo de Caso em Serra Norte, Carajás/PA https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/29968 <table> <tbody> <tr> <td> <p>No Brasil, a expansão das minas de minério de ferro e a riqueza espeleológica em rochas ferruginosas chamou a atenção de pesquisadores e agências ambientais que passaram a cobrar das mineradoras investimentos em estudos para preservação e mitigação dos impactos das atividades nos ambientes cavernícolas. A Resolução CONAMA nº 347 de 2004 estabelece a área de influência mínima sobre o patrimônio espeleológico identificado. Neste contexto, o estudo de conexões hídricas no entorno das cavidades faz parte de um projeto cujo objetivo principal é o entendimento da dinâmica hídrica no entorno de 34 cavidades naturais subterrâneas em formações ferríferas bandadas e cangas lateríticas localizadas nas minas da Serra Norte, Carajás/PA. Neste projeto foram realizados procedimentos experimentais ao longo de 5 anos com aplicação de traçadores químicos fluorescentes, com diferentes espaçamentos, em regiões de operações de mina, para análise da presença dos traçadores no interior de cavidades. Os resultados apontam que cavidades menores e mais rasas tem influência hídrica local e que a presença de solo e vegetação tendem a reduzir a conexão hídrica. A velocidade de fluxo pela canga é muito influenciada pelo volume de canga ensaiada em decorrência das descontinuidades cársticas e fissurais deste meio. Em adição, o cuidado durante a coleta das amostras por parte dos colaboradores de campo e a presença antrópica e de animais no interior e no entorno das cavidades são de considerável relevância.</p> </td> </tr> </tbody> </table> Bruna dos Santos Cezar Ferreira, Luis de Almeida Prado Bacellar, Hernani Mota de Lima Copyright (c) 2021 Águas Subterrâneas https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/29968 qui, 25 fev 2021 00:00:00 -0300 Uso de dados hidrogeofísicos e modelos numéricos como alternativa na otimização de locações de poços em um aquífero não confinado https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/29987 <table> <tbody> <tr> <td> <p>Aquíferos compartimentados por falhas ficam sujeitos às diversas alterações, entre elas a variação de espessuras saturadas e padrões de fluxo. O Aquífero Barreiras, em uma área na região Leste do Estado do Rio Grande do Norte, estruturalmente compartimentado por falhamentos Neógenos, possui uma bateria de 12 poços tubulares instalados no ano de 2011, os quais captam cerca de 750 m³/h destinados ao suprimento de água de municípios interioranos. Nesse contexto, o presente artigo aborda a otimização de locações adicionais de poços através do uso alternativo de dados hidrogeofísicos e modelos numéricos, no âmbito de um aquífero estruturalmente compartimentado. A metodologia contou com o uso de modelos geoelétricos inversos 1D, correlação entre perfis litológicos dos poços e seções hidrogeofísicas, destinadas a aprofundar a caracterização da compartimentação estrutural do aquífero, além de um mapa de espessura saturada para guiar as simulações numéricas efetuadas no MODFLOW. O mapa de espessura saturada indica que na região oeste da área estão os menores valores deste parâmetro, entre 30 e 40 m. Por outro lado, na região nordeste ocorrem isolinhas de 70 até um máximo de 90 m de espessura saturada. As simulações numéricas, por sua vez, indicaram que as áreas de grábens relativos são as mais propícias para futuras perfurações. Essas áreas possuem maiores espessuras saturadas podendo, assim, indicar setores com maiores vazões de explotação disponíveis.</p> </td> </tr> </tbody> </table> Rafaela da Silva Alves, Leandson Roberto Fernandes de Lucena Copyright (c) 2021 Águas Subterrâneas https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/29987 qua, 03 mar 2021 00:00:00 -0300